quarta-feira, 25 de agosto de 2010

ADVÉRBIOS


O advérbio é uma categoria gramatical invariável que modifica verbo, adjetivo ou outro advérbio, atribuindo-lhes uma circunstância de tempo, modo, lugar, afirmação, negação, dúvida ou intensidade. Por exemplo, a frase Ontem, ela não agiu muito bem. tem quatro advérbios: ontem, de tempo; não, de negação; muito, de intensidade; bem, de modo. As circunstância podem também ser expressas por uma locução adverbial - duas ou mais palavras exercendo a função de um advérbio. Por exemplo, a frase Ele, às vezes, age às escondidas. Tem duas locuções adverbiais: às vezes, de tempo; às escondidas, de modo.
Classificação dos Advérbios
01) Advérbios de Modo: assim, bem, mal, acinte (de propósito, deliberadamente), adrede (de caso pensado, de propósito, para esse fim), debalde (inutilmente), depressa, devagar, melhor, pior, bondosamente, generosamente e muitos outros terminados em mente. Locuções Adverbiais de Modo: às pressas, às claras, às cegas, à toa, à vontade, às escondidas, aos poucos, desse jeito, desse modo, dessa maneira, em geral, frente a frente, lado a lado, a pé, de cor, em vão.  
02) Advérbios de Lugar: abaixo, acima, adentro, adiante, afora, aí, além, algures (em algum lugar), alhures (em outro lugar), nenhures (em nenhum lugar), ali, aquém, atrás, cá, dentro, embaixo, externamente, lá, longe, perto. Locuções Adverbiais de Lugar: a distância, à distância de, de longe, de perto, em cima, à direita, à esquerda, ao lado, em volta.   
03) Advérbios de Tempo: afinal, agora, amanhã, amiúde (de vez em quando), ontem, breve, cedo, constantemente, depois, enfim, entrementes (enquanto isso), hoje, imediatamente, jamais, nunca, outrora, primeiramente, tarde, provisoriamente, sempre, sucessivamente, já. Locuções Adverbiais de Tempo: às vezes, à tarde, à noite, de manhã, de repente, de vez em quando, de quando em quando, a qualquer momento, de tempos em tempos, em breve, hoje em dia.   
04) Advérbios de Negação: não, tampouco (também não). Locuções Adverbiais de Negação: de modo algum, de jeito nenhum, de forma nenhuma.    
05) Advérbios de Dúvida: acaso, casualmente, porventura, possivelmente, provavelmente, talvez, quiçá. Locuções Adverbiais de Dúvida: por certo, quem sabe.   
06) Advérbios de Intensidade: assaz (bastante, suficientemente), bastante, demais, mais, menos, muito, quanto, quão, quase, tanto, pouco. Locuções Adverbiais de Intensidade: em excesso, de todo, de muito, por completo.   
07) Advérbios de Afirmação: certamente, certo, decididamente, efetivamente, realmente, deveras (realmente), decerto, indubitavelmente. Locuções Adverbiais de Afirmação: sem dúvida, de fato, por certo, com certeza.  
08) Advérbios Interrogativos: onde (lugar), quando (tempo), como (modo), por que (causa).

Flexão do advérbio
O advérbio pode flexionar-se nos graus comparativo e superlativo absoluto. Comparativo de Superioridade
O advérbio flexiona-se no grau comparativo de superioridade por meio de mais ... (do) que. 
Ex.:
  • Ele agiu mais generosamente que você.
Comparativo de Igualdade
O advérbio flexiona-se no grau comparativo de igualdade por meio de tão ... como, tanto ... quanto. 
Ex.:
  • Ele agiu tão generosamente quanto você.
Comparativo de Inferioridade
O advérbio flexiona-se no grau comparativo de inferioridade por meio de menos ... (do) que. 
Ex.:
  • Ele agiu menos generosamente que você.
Superlativo Absoluto Sintético
O advérbio flexiona-se no grau superlativo absoluto sintético por meio dos sufixos -issimamente, -íssimo ou -inho. 
Ex.:
  • Ela agiu educadissimamente.
  • Ele é muitíssimo educado.
  • Acordo cedinho.

Superlativo Absoluto Analítico
O advérbio flexiona-se no grau superlativo absoluto analítico por meio de um advérbio de intensidade como muito, pouco, demais, assaz, tão, tanto... Exemplos
  • Ela agiu muito educadamente.
  • Acordo bastante cedo.
Melhor e pior são formas irregulares do grau comparativo dos advérbios bem e mal; no entanto, junto a adjetivos ou particípios, usam-se as formas mais bem e mais mal
Ex.:
  • Estes alunos estão mais bem preparados que aqueles.
Havendo dois ou mais advérbios terminados em -mente, numa mesma frase, somente se coloca o sufixo no último deles.  
Ex.:
  • Ele agiu rápida, porém acertadamente.
Fonte: www.gramaticaonline.com.br

1. DEFINIÇÃO
Advérbio é a classe de palavras que:
a) do ponto de vista sintático
Vem associada ao verbo, ao adjetivo ou ao próprio advérbio, podendo inclusive modificar uma frase inteira
Ex.:
  • O juiz morava longe.
  • O dia está muito calmo.
  • Falava muito bem.
  • Certamente, você saberá como proceder na hora oportuna.
b) do ponto de vista mórfico
É invariável
c) do ponto de vista semântico
Denota circunstância de:
  • modo
  • tempo
  • lugar
  • dúvida
  • intensidade
  • negação
  • afirmação
OBS: A maioria dos advérbios modifica o verbo, ao qual acrescentam uma circunstância. Só os de in- tensidade é que podem também modificar adjetivos e advérbios.

2. CLASSIFICAÇÃO
Conforme a circunstância ou de acordo com a idéia acessória que exprimem, os Advérbios classificam-se em:
De dúvida: talvez, quiçá, acaso, porventura, certamente, provavelmente, decerto, certo.
De lugar: abaixo, acima, adiante, ali, aqui, cá, atrás, dentro, fora, lá, perto, longe, algures, alhures, nenhures.
De modo: bem, mal, assim, depressa, devagar, como, adrede, debalde, pior, melhor (e quase todos terminados em -mente).
De tempo: agora, hoje, ontem, amanhã, depois, anteotem, já, sempre, amiúde, cedo, tarde, antes, ora, outrora.
De intensidade: muito, mui, assaz, pouco, bastante, mais, menos, tão, demasiado, meio, todo, demais, nada.
De afirmação: sim, certamente, deveras, incontestavelmente, realmente, efetivamente.
De negação: não, jamais, nunca, nada, absolutamente.


3. ADVÉRBIOS INTERROGATIVOS
Usados em interrogações diretas ou indiretas.
São as palavras:
  • onde?
  • aonde?
  • donde?
  • quanto?
  • quando?
  • como?
  • por que?
  • para que?
OBS: O advérbio onde pode combinar-se com a preposição a (aonde) e com a preposição de (donde) e o uso de cada uma das formas pode ser descrita assim:
Onde: Indica o lugar em que se situa a ação verbal: Onde você mora?  
Aonde: Indica o lugar para o qual se dirige a ação verbal: Aonde você quer chegar?  
Donde: Indica o lugar do qual parte a ação verbal: Donde você veio?  
Interrogação: Direta Interrogação Indireta  
Quanto custa isto? Diga-me quanto custa isto.  
Quando voltas? Querem saber quando voltas.  
Como sabes isto? Ignoro como sabes isto.  
Por que choras? Não sei por que choras.  
Para que estudas? Pergunto para que estudas.

4. LOCUÇÃO ADVERBIAL
Quando há duas ou mais palavras que exercem função de advérbio tem- se a locução adverbial que podem expressar as mesmas noções dos advérbios. É a expressão for-mada de preposição + substantivo, ligada ao verbo com função equivalente ao do advérbio. Inici- am ordinariamente por uma preposição.
De lugar: à esquerda, à direita, de longe, de perto, para dentro, para fora, por aqui, por ali, por aí...
De afirmação: por certo, sem dúvida...
De modo: às pressas, passo a passo, de cor, em vão, em geral, frente a frente, de soslaio, de chofre, de viva voz.
De tempo: de noite, de dia, de vez em quando, à tarde, hoje em dia, nunca mais, passo a passo, por miúdo.
OBS: Não confundir a locução adverbial com a locução prepositiva. Nesta última, a preposição vem sempre depois do advérbio ou da locução adverbial: Ex: perto de, antes de, dentro de...


5. GRAUS DOS ADVÉRBIOS
Semelhantemente aos adjetivos, certos advérbios de modo, tempo, lu- gar e intensidade são suscetíveis de gradação:
GRAU COMPARATIVO GRAU SUPERLATIVO
  • Igualdade superioridade inferioridade sintético analítico analítico sintético tão ... quanto mais ... que melhor que (bem) menos ... que cedíssimo muito cedo
  • tão ... como mais ... do que pior que (mal) menos ... do que otimamente muito bem longíssimo muito longe
OBSERVAÇÃO
1. Para indicar o limite da possibilidade, dizemos: "o mais cedo possível", "o mais longe que puder", "o máximo de vezes".
2. Os advérbios bem e mal transformam-se em mel;hor e pior no comparativo (veja-se quadro).
Exemplos:
  • Ele escreve melhor que o irmão.
  • Todos aqui vivem pior que na fazenda.
3. Embora seja uma palavra invariável, o advérbio pode assumir, na linguagem coloquial, fami- liar, formas diminutivas que expressam intensidade ou afetividade: cedinho, rentinho, pertinho
4. Numa seqüência de advérbios terminados em -mente, costuma-se colocar o sufixo apenas no último:
Ex.:
  • Ele agiu calma e decididamente.
  • Ele falou sábia e calmamente.
5. Frequentemente empregamos adjetivos com valor de advérbios:
Ex.:
  • Ela não conseguiu dormir direito.
  • Bem caro pagarás os teus deleites.
  • Ele falou claro. Foram direto ao galpão do sítio.

6. PALAVRAS E LOCUÇÕES NÃO-CLASSIFICADAS (DENOTATIVAS)
De acordo com a NGB, serão classificadas à parte certas palavras e locuções, outrora consideradas advérbios, que não se enquadram em nenhuma das 10 classes conhecidas. Apesar de apresentarem forma semelhante à dos advérbios, a rigor não podem ser consideradas como tais. Elas são analisadas em função da idéia que expressam. São palavras denotativas de...(ou locuções denotativas de...)"
Inclusão
  • até
  • mesmo
  • também
  • inclusive
  • ainda
  • ademais
  • além disso
  • de mais a mais.

Exclusão
  • exclusive
  • menos
  • exceto
  • fora
  • salvo
  • tirante
  • senão
  • sequer
  • somente
  • apenas
  • unicamente

Situação
  • então
  • mas
  • afinal
  • agora

Retificação
  • aliás
  • ou melhor
  • isto é
  • ou antes
  • digo

Designação
  • Eis

Realce
  • é que
  • sobretudo
  • mesmo
  • embora

Explicação (ou explanação)
  • isto é
  • por exemplo
  • a saber
  • como

Afetividade
  • felizmente
  • infelizmente

Limitação
  • apenas
  • somente
  • unicamente
OBS: Na análise dir-se-á: palavra, ou locução denotativa de .... 

 Locução adverbial
Duas ou mais palavras que juntas na frase equivalem a um advérbio.
..................................................................................................................
Vamos começar nosso estudo analisando duas frases que contém advérbios.
  • Pedro bebe compulsivamente.
  • João compareceu pontualmente
É lícito dizer que compulsivamente indica o modo como Pedro bebe e que pontualmente particulariza a forma como João compareceu. Ou seja, as duas palavras estão modificando as ações denotadas nas frases. Diante disso, podemos dizer que em muitos usos, uma característica bem definida dos advérbios é funcionar como complementos frasais. Vamos adiante, analisando outra série:
  • Gisele desfilou linda.
  • Gisele desfilou muito.
  • Gisele desfilou muito linda.
Na primeira frase, linda modifica Gisele . Na segunda frase, muito modifica a ação denotada por desfilou . Na terceira frase, linda modifica Gisele , mas muito não modifica a ação do verbo, modifica sim, o adjetivo linda . Conclusão: advérbios podem modificar adjetivos. Vamos adiante.
  • Pedro dirige muito.
  • Pedro dirige muito bem.
Na primeira frase, entende-se que muito  quantifica a ação indicada na frase e explicitada pelo verbo. Já na segunda frase, se nos baseássemos no comportamento típico dos adjetivos, por exemplo, concluiríamos que Pedro dirige muito e bem. Mas não é o que acontece com os advérbios. A interpretação correta da frase é que Pedro dirige mais do que bem, dirige bem além da conta. O advérbio muito , nesse caso não modifica a ação do verbo, mas modifica o outro advérbio ( bem ). Esta é mais uma característica dos advérbios. Modificam outros advérbios.
Com essas análises, concluímos que advérbios podem complementar frases, além de modificar adjetivos e outros advérbios. Isso nos servirá como ponto de partida para nossa análise dos advérbios, uma classe difícil, cuja definição exige um esforço considerável. Para isso, teremos que levar em conta aspectos morfológicos, sintáticos e semânticos.


Contraste entre adjetivos e advérbios
Estudando atentamente os adjetivos e os advérbios encontramos várias similaridades e convergências entre as duas classes, de tal forma que chega ser tentadora a idéia de tratá-las como subconjuntos de uma classe maior de modificadores. Essa conclusão surge da observação de séries como a apresentada a seguir:
  • A bailarina é linda.
  • A bailarina dança lindamente.
Observe que tanto linda como lindamente apresentam o mesmo radical, que ambas as palavras são modificadores e o sentido que portam é basicamente o mesmo nos dois casos exemplificados, ou seja, uma qualidade, a beleza, está sendo atribuída a uma pessoa e a uma ação respectivamente.
Outra convergência que se observa é o fato de muitos adjetivos apresentarem advérbios correspondentes como:
Adjetivo
Advérbio
Muito, muita, muitos, muitas
Muito, muitíssimo
Rápido, rápida, rápidos, rápidas
Rápido, rapidamente
Pouco, pouca, poucos, poucas
Pouco, pouquíssimo
Bem
Bem

Muitos advérbios derivam de adjetivos pelo acréscimo do sufixo - mente à forma feminina do adjetivo, se houver. Em outros casos, não temos diferença morfológica notável entre adjetivo e advérbio, exceto as flexões de gênero e número no adjetivo.
Por exemplo:
  • Adjetivos: Muitas soluções, muitos problemas, muito tempo, muita intriga.
  • Advérbios: Muito bacanas, muito complexos, muito suja, muito limpo, viajou muito, muito bem.
As semelhanças entre adjetivos e advérbios são acentuadas no aspecto semântico. Já no aspecto morfossintático, observam-se diferenças como se vê na tabela a seguir:
Característica
Adjetivo
Advérbio
Flexão em gênero
Sim
Não
Flexão em número
Sim
Não
Flexão em grau
Sim
Em alguns casos
Classes que determina
Substantivos
Adjetivos Advérbios
Complementa frases copulativas
Sim
Não
Complementa frases não copulativas
Sim
Sim

Os adjetivos e advérbios contrastam nas condições em que podem ser empregados para formar sintagmas complementares da frase. Vamos resumir as possibilidades.
O adjetivo pode ser empregado como complemento de frases copulativas e o advérbio não.
  • A moça é linda.
  • A moça é muito.
Tanto o adjetivo como o advérbio podem complementar frases não copulativas, mas nesse caso, o adjetivo modifica apenas o sujeito e o advérbio modifica a frase como um todo.
  • A modelo desfilou linda.
  • A modelo desfilou lindamente.
Note que na primeira frase, o adjetivo linda modifica modelo . Na segunda frase, lindamente modifica a modelo desfilou .
As características morfológicas de adjetivos e advérbios podem ser decisivas para a interpretação do significado da frase como vemos em seguida:
  • As mani festantes são muito radicais.
  • As manifestantes são muitas radicais.
Na primeira frase, o fato de muito não concordar em número e gênero com manifestantes  indica que muito está sendo usada como advérbio. Em função disso, o falante vai entender que muito determina radicais em vez de determinar manifestantes , já que na gramática do português advérbio não determina substantivo.
Na segunda frase, o fato de muitas concordar em gênero e número com manifestantes , induz o falante a considerar muitas como adjetivo. Como no português, adjetivo só determina substantivo,  a determinação de muitas recai sobre manifestantes e a segunda frase ganha sentido diferente da primeira.
Em alguns casos, o adjetivo masculino singular se confunde com seu advérbio correspondente, gerando frases ambíguas como a seguir:
  • Ele agiu bem.
Afinal, quando agiu ele estava bem, ou a ação é que se deu corretamente? A ambigüidade deve-se ao fato de bem poder ser entendido como advérbio ou adjetivo.

Dois casos de uma mesma classe?
Diante das convergências que constatamos entre adjetivos e advérbios, poderíamos propor um modelo de análise em que as duas classes seriam tratadas como casos de uma classe mais abrangente. Dessa forma, palavras como as agrupadas a seguir seriam tratadas como integrantes de um mesmo lexema.
  • Certo, certa, certos, certas, certamente.
  • Pronto, pronta, prontos, prontas, prontamente.
As flexões com gênero e número definidos seriam tratadas como pertencentes ao caso adjetivo e a flexão terminada em mente , seria incluída no caso adverbial. Observe que estaríamos unindo os adjetivos e advérbios em uma mesma classe, flexionada em caso. Respaldo para tal modelo há, afinal, o adjetivo e o advérbio, se distinguem basicamente pelas funções sintáticas distintas que desempenham.
Esse exercício de análise foi desenvolvido apenas para mostrar as afinidades que unem os adjetivos e os advérbios. Não vamos criar a super classe dos adjetivos mais advérbios, embora a idéia seja tentadora.

Modificador de modificadores
Uma característica marcante dos advérbios é o fato de funcionarem como modificadores de adjetivos e de outros advérbios. Se considerarmos que o adjetivo modifica o substantivo e este não modifica outros itens, temos uma cadeia de modificação como no exemplo:
  • Tese muito bem desenvolvida.
No exemplo, o substantivo tese é o determinado primário.
O adjetivo desenvolvida é modificador primário.
O advérbio bem é modificador secundário.
  • Muito é advérbio modificador terciário.
O advérbio não pode desempenhar a função de modificador primário.

Complemento frasal
Outra característica importante dos advérbios é a possibilidade de formarem isoladamente um sintagma que complementa alguns modelos de frase que seguem a estrutura sujeito + sintagma verbal + complemento.
Veja alguns casos:
  • O preço subiu rapidamente.
  • A tempestade chegou subitamente.
A ação do advérbio, nesses casos se estende sobre o conjunto sujeito + sintagma verbal. É o que se conclui fazendo perguntas que esclarecem a função do advérbio na frase. O que se deu rapidamente? A subida do preço. O que se deu subitamente? A chegada da tempestade.

Advérbio é a palavra que se emprega como:
1. modificador do adjetivo ou do próprio advérbio; 2. Determinante do verbo
Os advérbios são palavras heterogêneas, ou seja, podem exercer funções as mais diversas na oração. Por isso, a cada função exercida, alia-se um valor significativo. Como modificador, o advérbio expressa uma propriedade dos seres de modo a acrescentar-lhes um significado diferente, "modificado". Isso acontece em relação ao adjetivo, ao próprio advérbio, ou mesmo a uma oração inteira.
Exemplos:
Ela estava tão apressada que esqueceu seu livro de matemática comigo. ...[apressada: adjetivo]
...[tão: advérbio = modificador do adjetivo]
Todos passam muito bem, obrigado! ...[bem: advérbio]
...[muito: advérbio = modificador do advérbio]
Felizmente não houve feridos no acidente. ...[não houve feridos no acidente: oração]
...[felizmente: advérbio = modificador da oração]
Ninguém manda aqui! ...[mandar: verbo]
...[aqui: advérbio de lugar = determinante do verbo]
Os advérbios que se relacionam ao verbo são palavras que expressam circunstâncias do processo verbal, por isso considerá-los um determinante. Cada uma dessas circunstâncias indicadas pelos advérbios justifica os vários tipos de advérbios na nossa língua (circunstância de lugar, modo, tempo, etc.).
Outra característica dos advérbios se refere a sua organização morfológica. Os advérbios são palavras invariáveis. Isto é, essa classe gramatical não apresenta variação em gênero e número - tal como os nomes -, nem de pessoa, modo, tempo, aspecto e voz - tal como os verbos. Alguns advérbios, porém, admitem a variação em grau (ex.: cedo = advérbio de tempo em grau normal; cedíssimo = grau superlativo; cedinho = diminutivo com valor de grau superlativo do advérbio).
É importante, portanto, conhecer essas outras particularidades do advérbio.
Fonte: www.interaula.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário